Notícias

Coronavírus e saúde mental: Como manter o equilíbrio emocional em tempos difíceis?

27 de mar�o de 2020

Coronavírus e saúde mental: Como manter o equilíbrio emocional em tempos difíceis?

Por: Luciana Alves Massi - Psicóloga do Núcleo de Apoio ao Discente e Docente (NADD) da Faculdade de Ciências Médicas de Três Rios - FCM-TR - Suprema.

 

Querido estudante e professor,

Estamos vivendo um momento único com a pandemia do coronavírus, momento em que precisamos nos reinventar e seguir nossas vidas, com responsabilidade, no campo do que é possível.


Até que tudo se normalize, o NADD estará, a partir do dia 30 de março de 2020, realizando atendimento psicológico de apoio e planos de estudos, via chamada de vídeo com horários agendados. Para agendar um horário, basta enviar um e-mail para nadd@tr.suprema.edu.br informando seu nome completo, celular com DDD, dia e horário em que gostaria de ser atendido.


Todas as vezes que vivenciamos uma situação onde lidamos com algo que não podemos controlar ou prever, tendemos a nos sentir ansiosos. Afinal, a ansiedade aparece exatamente do que é incerto e do que não temos controle, o que muitas das vezes nos ajuda a criar estratégias de enfrentamentos para que possamos nos proteger e lidar com esses momentos.


No entanto, hoje, vivemos algo atípico em que o mal-estar é generalizado e a ansiedade coletiva, ou seja, muitas pessoas imaginando o que está por vir e se percebendo incapaz ao mesmo tempo, o que tende a intensificar esses sentimentos desprazerosos e aumentar as chances de adoecimento emocional, como o estresse por exemplo que pode aparecer diminuindo nossas defesas e causando um desiquilíbrio entre a razão e a emoção. Não podemos esquecer que o medo é um sentimento que pertence a nós, assim como a capacidade de vencê-lo e lidar com o que é incerto também nos pertence.


O importante agora é sermos solidários uns aos outros e pensarmos na melhor maneira de passarmos por tudo isso. Muito do que está acontecendo não depende de nós, mas ainda assim, há muito o que podemos fazer para sairmos de tudo isso saudável fisicamente e mentalmente.
Diante disto, elaborei algumas sugestões para ajudá-los a cuidar de sua saúde mental e a lidar com as dificuldades emocionais que esse período de incertezas e de isolamento social pode gerar.

 

Excesso de informações

Manter-se informado é essencial nesse momento, precisamos de informações para nos nortear e entender o que se passa, no entanto, o excesso de informações pode desencadear preocupação excessiva elevando o nível de ansiedade e estresse. Procure reservar horários específicos para se informar e não se esqueça de verificar as fontes de informações. Controle a quantidade de informações que chegam até mesmo para que você tenha tempo para assimilá-las. Lembre-se tudo em excesso vira sintoma.

 

Laços sociais

O isolamento social pode ser interpretado com sentimentos de angustia e solidão, afinal, somos seres sociais e precisamos uns dos outros. Diante de uma pandemia contagiosa, sabemos que esse distanciamento físico é algo necessário. No entanto, lembre-se que a restrição do contato físico não deve limitar nosso contato social. Por isso mantenha-se conectado com as pessoas queridas e não perca sua rede de apoio. Pode ser um bom momento para fortalecer seus laços sociais ou mesmo retomar o contato com pessoas que são importantes para você.

 

Rotina

A situação exige de nós algumas adaptações, no entanto, procure manter ao máximo sua rotina diária. Programe seus dias e organize seus horários de estudos. Na hora de assistir as aulas procure garantir um ambiente silencioso a fim de evitar distrações e facilitar o aprendizado. Planeje suas atividades respeitando seus horários de alimentação, lazer e sono. Preencha o tempo ocioso e aproveite para fazer coisas que você gostaria, mas não consegue ou não prioriza no dia a dia. Pode ser um bom momento para colocar em dia a leitura daquele livro que você tanto quer ler ou organizar o guarda-roupa.

 

Exercite-se

Insira na sua rotina um momento para se exercitar. Se você já pratica atividade física peça seu professor ou treinador que organize seus treinos e exercícios de modo que possa fazê-los em casa. Se você não tem esse hábito pode ser um momento oportuno para adquirir ou retomar. Faça contato com um profissional da área que possa ajudá-lo. Lembre-se que a pratica da atividade física fortalece o corpo e também a mente. Previne o estresse e reduz sintomas de ansiedade e depressão.

 

Busque equilíbrio

Como dito anteriormente, essa situação é gatilho para sentimentos como o medo, e o medo nos coloca em constante estado de alerta, favorecendo o estresse. Numa situação de estresse tendemos a suprimir a razão e exaltar a emoção, o que favorece um desiquilíbrio do corpo, reduzindo nossa imunidade, e da mente. Com isso, tendemos a dar demasiada atenção ao que nos falta ao invés de olharmos para as possibilidades que temos. Essa sensação de falta nos faz querer compensar ou preencher os "vazios" de alguma forma, favorecendo as compulsões (alimentares, compras, uso abusivo de álcool e drogas, etc), além disso pode agravar quadro psicológicos de ansiedade e depressão.
Por isso, se você já faz tratamento psicológico ou psiquiátrico tente usar dos recursos possíveis para não os interromper.
Práticas integrativas como meditação também são benéficas nesse momento.

 

Ressignifique
Ressignificar é dar outro sentido, é não deixar apenas nossa emoção falar, é olhar o todo e não apenas a parte. Precisamos elaborar os acontecimentos ao nosso redor antes de definirmos a situação de maneira impulsiva e catastrófica. Não se esqueça: nossos pensamentos se transformam em sentimentos e nossos sentimentos em comportamentos e atitudes. E tudo isso nos define. Diante do que não temos controle precisamos sentir que estamos fazendo a nossa parte. Isso diminui nosso sentimento de impotência. Precisamos disseminar pensamentos positivos para que esses se tornem coletivos e modifiquem nossos sentimentos. Precisamos ser apoio! O momento nos exige ficar em casa e nos convida a olhar para nossa "casa de dentro". Nosso eu. Vamos aproveitar e rever nossas prioridades, escolhas e nossos sonhos. Uma coisa é fato: vamos passar por tudo isso, juntos, mas cada um de uma maneira. Qual maneira você escolhe?

 


Por aqui, estamos fazendo a nossa parte e tenham certeza de que até que tudo isso se normalize, as decisões tomadas serão as de menor prejuízo para todos nós.

 

Rua Isaltino Silveira, 1470, Bairro Cantagalo - Três Rios - Rio de Janeiro, RJ

(24) 99883-8912